Morreu Ngwenha! O calar do “Crocodilo” suscita lágrimas e dor em Maputo

Reportagem: Redacção Literatas
Chegaram hoje na capital Moçambicana, Maputo, os restos mortais do pintor-mor Malangatana Valente Ngwenha, um autêntico monstro sagrado nas artes moçambicanas, o Homem que pintava pessoas!
As ruas de Maputo, onde pelo menos os Literatas fizeram uma ronda, estavam em silêncio, a cidade da Matola também não respirava vida, era tudo cheiro de Morte, sabor da lágrima e cenário negro. Todos choram a alma do artista polivalente.
Malangatana, assemelhava-se a tradução do seu apelido, Ngwenha, que significa crocodilo, conseguia marcar as pessoas pela sua capacidade de se impor com elevada supremacia e excelência. Isto não é “o drama da morte” é o retrato inacabável do homem que esta terra se orgulha de ter edificado.
Até sexta-feira, data do inteiro dos restos mortais do artista, o Estado moçambicano, estará de luto, em continência e homenagem ao Malangatana Valente Ngwenha. Um herói que tal como em vida, faz a diferença já morto.
Os restos mortais do Malangatana, vão repousar na terra que o viu a nascer, Matalana, no distrito de Marracuene, na Província de Maputo.
Adeus herói das artes.
Adeus embondeiro da cultura moçambicana!
Adeus amiguinho das criancinhas.
Adeus herói da causa de todos.
A pátria ti recordará, vovô Ngwenha.
publicado por Revista Literatas às 04:50 | link