O sentido da vida

De: Vicente Sitoe

O mundo é uma bola quadrada
que não pode ser jogada
A vida é uma linha recta
que não anda directa
porque está cheia de curvas
A vida pega-se com luvas
Tudo perdeu sentido
O mundo já não é colorido
Ir para frente é olhar para trás
A vida passa num zás
Quem segue a lógica não é demente
Pessimista morre cedo e descontente
Tudo vai acontecer, só não ao mesmo tempo
A vida é um grande campo
O tempo passa e nos leva junto
O que não existe neste momento
em breve existirá
E em breve também morrerá
A alma guarda segredos consigo
Ter paz é ignorar o inimigo
Ser abençoado é uma dádiva
A maior arma é uma voz viva
Ser forte não é bater nos outros
é saber evitar maus encontros
é saber sair dos escombros
Ser amigo é dar os dois ombros
O sentido da vida é uma confusão
Mas a esperança não é uma ilusão
Atrevido é quem arrisca
Pular o risco não é morder a isca
é procurar ver para além do cenário
A vida corre como um rio
Nesta vida nada é por acaso
Cada caso não é um caso
A felicidade é uma escolha pessoal
A alegria é temporal
A fartura é ocasional
De todas queixas, a fome é a principal
A vida é unidireccional
Cego é quem não descobre o seu amor
Santo é quem nunca sente rancor
O coração anda cheio de dores
porque o mundo perdeu as cores
Mas bem fundo germina a esperança
de ver a vida pela visão de uma criança
Porque a vida é um lindo poema
Cada acontecimento é uma rima
O amor é o maior enigma
O coração é um quebra-cabeça
O corpo é que toma a nossa liderança
O sentido da vida é uma incognita
E o ser humano é um poeta
tags:
publicado por Revista Literatas às 01:16 | link