Poesia

Japone Arijuane – Maputo




É um crer estar quando ausente
É viver vidas antes nascidas
É ter tudo num mundo vazio
É sempre ouvir o ruído do silêncio
É ser o que o seu ser não quis ser
É desafiar a física estar em ambos lugares em simultâneo
É ter uma constante metamorfose mental
É ter o mar sem águas ou as águas sem rio
Olhar ver o que não se vê
Ouvir e entender o que não se disse
É tudo ou nada, nada ou poesia
É poesia ou Poesia.
__________________________________________________ 
Extraído do projecto de livro do autor “Falas Perdidas”.
publicado por Revista Literatas às 07:05 | link