Sábado, 28.05.11

declaração de sonhos


 Nelson Lineu - Maputo

Talvez os nossos
quando tomam posse não tenham mesmo nada
daí a não declaração de bens
a eles fazem declaração de sonhos
publicado por Revista Literatas às 04:00 | link | comentar

*.*.* ''Quero Ser Uma Flor'' .*.*.*


Alexandra Dagmar – Tete

Oh, se eu fosse uma Flor
Carismatica flor seria eu…
Encharcada de amor,
Em contra partida, repleta de dor…
Pelas minhas proprias espinhas,
Picar-me-ia.
Sem doh nem piedade,
Magoar-me-ia

Ah, que bela flor!!
Sem sombra de duvidas, de entre as mais rediantes
A mais bela Flor!!
Como bela flor que seria,
Contagiar-te-ia o meu calor…

Quisera eu ser uma flor,
Pudera eu, contentar-me de amor….
Diariamente, pela luz do sol iluminada.
Por benevolentes chuvas,
De inverno a verão, regada.

Quero ser uma flor!!!
Eternamente abeçoada….
publicado por Revista Literatas às 03:58 | link | comentar

Outro olho da Carla!

Eduardo Quive – Maputo

Chamas pariram-se na mais brilhante cor da noite
Caíam em restos bocados de ventos no escuro
No feitiço da alma.

Vozes da sua alma
Se ouviam como orvalho
Que cai na sede do dia

Milagres do Inverno e bênçãos do verão.
E verão a quem os olhos da minha alma?
Na saudade do tempo
Verão a quem estes restos da imensidão na esfera da vida?

Verão a Carla
O outro olho.
Olho que não olhara nada
A ninguém
Nem o outro olho.

Outro olho da Carla
Soubera cuspir a sua vista no meu rosto
Apalpando a minha alma
Que se afagou sem cessar

E os nossos olhos…
Olham-se mutuamente,
Humilhando as hormonas,
Distraídos dos homens e da humanidade.

Mas apenas olham-se
Com destino a eternidade.
Dois amores perdidos
Para a herança da vida.
publicado por Revista Literatas às 03:56 | link | comentar

Prosa Poética de Aline Pereira


Aline Pereira - Rio de Janeiro

Ereta na cadeira rígida da biblioteca, Clara sente algo. O rapaz contempla seu ídolo com duas sementes vistosas, a que ela retribui com única mas gigantesca gema de esmeralda. Ele estava perdido. Não por estar longe de casa e sim por não conhecer o mar. Ela sentia frio, e o frio a endurecia mais e mais. Tudo dentro do seu corpo congelava. Logo compreendeu que acabava ali. Seu pensamento não foi outro além de "como estou cansada de prestar sempre contas à razão!" Mesmo assim, esperou até a exaustão naquela estranha brincadeira de imitar ossos. Depois, resolveu participar de um filme que contava uma história de fantasmas. Dois roteiristas e o diretor aguardam por ela. Algum tempo depois, Clara está sendo empurrada por eles para dentro de uma água profunda e negra. O diretor pergunta: 
Você está  com medo? (Ela não está) Eu morri - responde. Estou morta.
O ator coadjuvante se aproxima sem pensar e intui que tudo seja um sonho. 
Clara lhe dirige um olhar de predador em direção à presa, depois fala calmamente: Pode ser o sonho de vocês, não o meu.
Um inexplicável pavor começa a crescer dentro de todos da equipe de filmagem...
Eu continuo sentada olhando para a tela, que cambia entre tons do cinzento de um céu de fumaça. Pouco a pouco então levanto o meu corpo e dirijo ele para a minha casa. No caminho não encontro nada. Apenas um vento suave e uma chuva silenciosa de maio.   
publicado por Revista Literatas às 03:47 | link | comentar

VII CONCURSO DE TROVA GAUCHESCA “JOSÉ BARROS DE VASCONCELLOS”

A Estância da Poesia Crioula torna público que:
1) Estão abertas até 04 de junho de 2011 as inscrições ao Concurso de Trova Gauchesca José Barros de Vasconcellos.
2) O tema do Concurso é livre, porém, deverá abordar a história, lendas, tradição, usos ou costumes do Rio Grande do Sul.
3) A trova deve ser escrita, inédita, setissilábica, rimando o primeiro verso com o terceiro e o segundo verso com o quarto.
4) Cada autor poderá concorrer com o máximo de três trovas. Deverá acompanhar o trabalho um envelope menor, lacrado, contendo: pseudônimo, nome completo, endereço, telefone e e-mail (Se houver).
5) Os trabalhos deverão ser encaminhados, em três cópias, até o dia 04 de junho de 2011 para o seguinte endereço:
ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA – EPC                                                                                                             Rua Duque de Caxias, 1525, Conj. 49/D                                                                                        CEP: 90.010-283 - Porto Alegre - RS – BRASIL
9) Deverá  ser enviado junto com os trabalhos, uma contribuição simbólica de R$ 10,00 (Dez reais), a título de inscrição.
10) Os trabalhos serão julgados por comissões especializadas, indicadas pela instituição promotora do concurso.
12) PREMIAÇÃO: Serão selecionados cinco trovas com Menção Honrosa, que receberão diploma.
Serão selecionadas três trovas vencedoras, que receberão diploma e troféu.
11) Os resultados serão proclamados e os prêmios conferidos em solenidade especial, em Porto Alegre, durante a realização do 55º Rodeio de Poetas Crioulos, no último final de semana do mês de junho de 2011.
     Porto Alegre, 25 de abril de 2011.
___________________________________
           Cândido Brasil           
Presidente
publicado por Revista Literatas às 03:42 | link | comentar

CONCURSO LITERÁRIO CRISTÓVÃO PEREIRA DE ABREU


I – JUSTIFICATIVA
     O ciclo do Tropeirismo foi importante fator de desenvolvimento econômico e social, no Brasil e demais países do Mercosul.
     Foi ele, ainda, fator de integração entre esses povos, razão pela qual a Estância da Poesia Crioula, voltada para o resgate histórico e cultural desse ciclo, criou o CONCURSO LITERÁRIO CRISTÓVÃO PEREIRA DE ABREU, com o qual rende homenagem aos tropeiros, verdadeiros desbravadores do Rio Grande.
II – REGULAMENTO
1) As categorias deste concurso são: PESQUISA HISTÓRICA, POESIA E TROVA.
2) Os trabalhos deverão ser inéditos, redigidos em português ou espanhol, tendo por tema o tropeirismo. Deverão ser enviados em três vias e sob pseudônimo.
3) Poderão participar deste concurso pessoas naturais dos países do Mercosul.
4) PESQUISA HISTÓRICA: Deverá conter duas páginas no mínimo e cinco páginas no máximo, com trinta linhas cada uma,(espaço dois), ocupando um lado apenas, da folha. Deverá acompanhar o trabalho um envelope menor, lacrado, contendo: pseudônimo, nome completo, endereço e telefone.
5) POESIA: Serão aceitas todas as modalidades poéticas. A poesia deverá conter no máximo 120 versos ou linhas. Deverá acompanhar o trabalho um envelope menor, lacrado, contendo: pseudônimo, nome completo, endereço e telefone.
6) TROVA: Este gênero, o mais cultivado no tropeirismo, compreenderá a trova escrita, setissilábica e com rima dupla, rimando o primeiro verso com o terceiro e o segundo com o quarto. Máximo de três trovas por autor. Deverá acompanhar o trabalho um envelope menor, lacrado, contendo: pseudônimo, nome completo, endereço e telefone.
7) Cada autor poderá concorrer com um trabalho em cada categoria, sendo que poderão ser enviados em um mesmo envelope.
8) Os trabalhos deverão ser encaminhados, em três cópias cada um, até o dia 04 de junho de 2011 para o seguinte endereço:
ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA – EPC                                                                                                             Rua Duque de Caxias, 1525, Conj. 49/D                                                                                        CEP: 90.010-283 - Porto Alegre - RS – BRASIL
9) Deverá  ser enviado junto com os trabalhos, uma contribuição simbólica de R$ 10,00 (Dez reais), a título de inscrição.
10) Os trabalhos serão julgados por comissões especializadas, indicadas pela instituição promotora do concurso.
11) PREMIAÇÃO: Serão selecionados os quatro melhores trabalhos em cada categoria, os quais receberão diploma.
Os primeiros colocados em cada categoria receberão o troféu “CINCERRO DE PRATA”.
12) Os resultados serão proclamados e os prêmios conferidos em solenidade especial, em Porto Alegre, durante a realização do 55º Rodeio de Poetas Crioulos, no último final de semana do mês de junho de 2011.

     Porto Alegre, 25 de abril de 2011. 
___________________________________
          Cândido Brasil            
Presidente
publicado por Revista Literatas às 03:40 | link | comentar

X CONCURSO DE POESIA “TAVEIRA JÚNIOR” E DE CONTO “ALCIDES MAYA”


A Estância da Poesia Crioula torna público que:
1) Estão abertas até 04 de junho de 2011 as inscrições ao X Concurso de Poesia “Taveira Júnior” e de Conto “Alcides Maya”.
2) O tema do Concurso é livre, porém, deverá abordar a história, lendas, tradições, usos ou costumes do Rio Grande do Sul.
3) A poesia deve ser inédita, não devendo exceder a 120 versos ou linhas. Nela deverá constar apenas o pseudônimo.
4) O conto deverá  ser inédito, contendo no mínimo duas e no máximo cinco páginas, digitadas em espaço dois. Nele deverá constar apenas o pseudônimo.
5) Cada autor poderá concorrer com um trabalho em cada modalidade: poesia e conto.
6) Deverá acompanhar o trabalho um envelope menor, lacrado, contendo: pseudônimo, nome completo, endereço, telefone e e-mail (Se houver).
7) Os trabalhos deverão ser encaminhados, em três cópias, até o dia 04 de junho de 2011 para o seguinte endereço:
ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA – EPC                                                                                                             Rua Duque de Caxias, 1525, Conj. 49/D                                                                                        CEP: 90.010-283 - Porto Alegre - RS – BRASIL
9) Deverá  ser enviado junto com os trabalhos, uma contribuição simbólica de R$ 10,00 (Dez reais), a título de inscrição.
10) Os trabalhos serão julgados por comissões especializadas, indicadas pela instituição promotora do concurso.
12) PREMIAÇÃO: Os trabalhos selecionados do 1º ao 5º lugar receberão diploma.
Os trabalhos classificados em 1º, 2º e 3º lugares receberão Diploma e Troféu.
11) Os resultados serão proclamados e os prêmios conferidos em solenidade especial, em Porto Alegre, durante a realização do 55º Rodeio de Poetas Crioulos, no último final de semana do mês de junho de 2011.
     Porto Alegre, 25 de abril de 2011.
___________________________________
Cândido Brasil
Presidente E.P.C.
publicado por Revista Literatas às 03:38 | link | comentar

A Revista Literatas

é um projeto:

 

Associação Movimento Literário Kuphaluxa

 

Dizer, fazer e sentir 

a Literatura

Maio 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
15
19
20
23
25
26
29

pesquisar neste blog

 

posts recentes

subscrever feeds

últ. comentários

Posts mais comentados

tags

favoritos

arquivo

blogs SAPO