Quinta-feira, 17.02.11

Madrugada de feitiços

De: Américo Matavele - Maputo

Traços brilhantes que furam a escuridão
É o nascer do Sol
A esperança.

O silêncio nocturno me sufocava
Punha-me navegando entre o fugir e o chorar
Meu âmago destroçado por lembranças
A dor ainda dilacerante na alma

É o primeiro alvorecer que vivo sem ela
E o pensamento persegue-me indelével
A corda desistida ainda baloiçando do barrote
Azar meu, as cadeiras ela levou todas.

E a vida desconhecida, pulsante e solítária
Tenta me capturar ainda vivo para me escravizar
Mas consigo fugir, e levando no pilão decidido
Alcanço o pescoço na corda e sorrio triufante para ela.
tags:
publicado por Revista Literatas às 07:31 | link | comentar

OUVIR

De: Pedro Du Bois - Santa Catarina

Ouço o corpo em lembranças,
estremeço; penetro a música
e me expando em cantos: letreiros
iluminam as ruas, a dor opaca
o caminho: em mesas reunidos
homens desdenham a farsa
da novidade. O corpo alenta
o desejo; entrevejo o fogo
apagado. Danço o terminar
da hora; esqueço ao atormentar
espíritos. A ultimação
do fato transfigura
o papel em desenhos.
tags:
publicado por Revista Literatas às 03:41 | link | comentar | ver comentários (1)

A Revista Literatas

é um projeto:

 

Associação Movimento Literário Kuphaluxa

 

Dizer, fazer e sentir 

a Literatura

Fevereiro 2011

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
22
23
24
25
27

pesquisar neste blog

 

posts recentes

subscrever feeds

últ. comentários

Posts mais comentados

tags

favoritos

arquivo

blogs SAPO