POETAS

De: Nonia Issac – Songo- em Tete

Connosco poesia,
Vigilantes do nosso amor.

Censurados como não
Aqui estamos,
Resistimos, por aquilo que amamos.

Serenos, murmuramos:
Dizer, Fazer e Sentir a Literatura
Navegamos nela
A poesia
Nosso amante.

Serenamente palavreamos
Inesperadamente esculpimos palavras
Essa é a nossa arte
tags: ,
publicado por Revista Literatas às 04:58 | link