Gurúè

Japone Arijuane - Maputo
O Mundo onde o nada diz tudo.
Bendito seja dito somente para ti!
Obra da arte natural
Verde com nunca
Firme com sempre
A mãe natureza tem aqui um sossego divino
A contemplação infinita reside nas entranhas desta vista
Beleza, as fertilidades ostentadas pela sua superfície
Fazem de ti,
O pulmão,
O celeiro,
O oxigénio,
O tudo zambeziano
Se foi deus adeus pelo embelezamento,
Alias, que haja deus embelezador.

publicado por Revista Literatas às 05:30 | link | comentar