O Renascentista


Aline Pereira - Rio de Janeiro

Há milénios acreditei
estar imóvel nessa bola,
com o sol e as estrelas
girando em torno dela.
Mas agora tudo se move,
eu, a bola, o sol, as estrelas.
Agora os barcos navegam do verde ao azul
e, do alto, vêem a água girar
pernas e mãos em conjunto.
Vêem que o céu está vazio,
que na Terra há muito lugar.
Então, onde a fé teve assento,
repousou a dúvida.
O universo sem ponto central
e a bola rolando comigo,
na órbita dos meus olhos.
E daquela manhã dos inícios
não houve quando não visse mais.  
publicado por Revista Literatas às 08:13 | link | comentar