Quando Estivermos Vivos


 Deusa D´África – Xai-Xai

Quando estivermos vivos
Nos amaremos e activos
Permaneceremos causando gana
Aos que não são amados, e de quem aos estóicos emana. 
Quando estivermos vivos
Abraçarmo-nos-emos na varanda
E pararemos a lua
Para que não haja sol na rua

Quando estivermos vivos
Eu e tu seremos um
Iguais a outro casal nenhum
E em cada solo nosso sémen fecundará o alimento do povo, o pão. 
Quando estivermos vivos
Todos dias serão dias de sarau
Sarau serenatas e satisfação em semblantes
Sem lugar para os com cara de pau. 
Quando estivermos vivos
Gargalharemos de tal maneira
Que nossos olhos jorrarão, água
Que inundará  a cidade de felicidade. 
Quando estivermos vivos
Como ovíparos pariremos, um enxame de príncipes,
Que serão os munícipes
Desta cidade sem mocidade. 
Quando estivermos vivos
Beberemos água gelada
Que neste tormento nem a fada
Nos pode dar por misericórdia, ou por compaixão
Mesmo vendo que em nós há paixão.  
publicado por Revista Literatas às 07:13 | link | comentar